Exploração do sal-gema será importante para retomada econômica no ES pós-pandemia, dizem autoridades e especialistas

Marcelo Santos discursa sobre a importância da rocha mineral, em Conceição da Barra / Foto: Bruno Fritz

Audiência pública aconteceu em Conceição da Barra para discutir as oportunidades e desafios do mineral, que promete 15 mil empregos e um investimento de R$ 170 milhões nas fases de pesquisa 

A exploração das jazidas de sal-gema localizadas na região Norte do Espírito Santo será uma oportunidade de retomada econômica no Estado e no País no pós-pandemia. Essa foi a defesa das autoridades e especialistas que participaram da audiência pública para debater o assunto no distrito de Braço do Rio, em Conceição da Barra. O evento foi promovido pelo Centro de Estudos e Debates Estratégicos da Câmara Federal (Cedes) e pela Comissão de Infraestrutura da Assembleia Legislativa (Coinfra).  

O deputado estadual Marcelo Santos (Podemos/ES) destacou a importância da participação de todos os cidadãos. “Nós estamos debatendo a exploração e a produção do sal-gema, mas discutindo também os pontos positivos e negativos. É necessário que a população saiba da importância dessa nova atividade e como nós faremos chegar esse patrimônio para toda a cidade e Estado, que receberá um investimento de R$ 170 milhões, apenas nas fases de pesquisa."  

O desenvolvimento do Estado, a possibilidade de maiores investimentos, oportunidades, renda e emprego foram temas de destaque na audiência pública que envolve a maior jazida de sal-gema da América Latina. Presidente do Cedes e coordenador da bancada federal capixaba, o deputado Da Vitória (Cidadania-ES) avaliou que a exploração trará grande desenvolvimento regional. "São 12 bilhões de toneladas do mineral com capacidade de gerar 15 mil empregos somente na exploração. O leilão será finalizado na próxima semana e conheceremos os vencedores. O desafio agora será criarmos um ambiente de atração de empresas para beneficiar o mineral, gerar emprego e renda para toda a região Norte do Estado".  

O deputado federal Da Vitória esteve no município para reforçar o comprometimento da Bancada Federal / Foto: Bruno Fritz

De acordo com os estudos apresentados na audiência, o deputado federal Felipe Rigoni ressaltou que há interessados em cada um dos 11 blocos nos municípios de Conceição da Barra e São Mateus, que estão em processo de licitação. Com o resultado do leilão, as empresas receberão para estudar as áreas e terão um prazo de até dois anos para apresentar seus estudos geológicos. As áreas, anteriormente, pertenciam à Petrobras e em 1980 já havia relatórios de pesquisas das áreas, que ficaram desfasados por mais de 30 anos.   

O superintendente regional da Agência Nacional de Mineração (ANM) no Espírito Santo, Virgílio Cezar Mota, explicou como funcionará a finalização do leilão e o processo de licenciamento para a pesquisa nas áreas. "O que a região verá nos próximos anos serão geólogos e técnicos que vão estar pesquisando as jazidas. Tenho a expectativa que a outorga com a concessão de lavras dará ao ES um cenário muito positivo."  

A Findes e o Senai garantiram que já estão trabalhando em prol do desenvolvimento em parceria com o município de Conceição da Barra para capacitação da sociedade. Fernando Prates, diretor regional, explicou que o sal-gema já é realidade para a indústria capixaba e anunciou que existem recursos e ferramentas para a capacitação, com cerca de 400 cursos para preparar os cidadãos para trabalharem nas empresas que estarão chegando na região.

  Comunidade, lideranças, prefeitos e deputados estiveram na audiência pública / Foto: Bruno Fritz

O reitor do IFES, Jadir Pela, também ressaltou a importância da capacitação profissional e levantou a possibilidade de instalação de um campus em Conceição da Barra aproveitando a onda de investimentos do sal-gema.  

No andamento do debate, o deputado Marcelo Santos fez questão de destacar o ofício que enviou em 2011 ao Ministro das Minas e Energia solicitando a exploração do minério. Além disso, explicou as oportunidades e os desafios do minério para que a nova atividade não se torne um commodity, ou seja, para que não seja explorado e beneficiado em outro território, que não o Espírito Santo.  

O prefeito de Conceição da Barra, Matheusinho, finalizou dizendo que a união do Governo do Estado, Governo Federal, Assembleia Legislativa, Câmaras Municipais e toda a comunidade é um passo importante para um desenvolvimento com seriedade e para evitar que aconteceu e o que acontece em Maceió.

Prefeito de Conceição da Barra e deputado Marcelo Santos apresentando a rocha sal-gema / Foto: Bruno Fritz  

 

Assessoria de comunicação

Data de Publicação: sexta-feira, 03 de setembro de 2021

LEIA MAIS...

Assembleia e Câmara dos Deputados promovem debate sobre exploração de sal-gema no ES
No distrito de Taquaras, Marcelo Santos inaugura primeira torre de telefonia móvel
Projeto prevê estadualização da estrada de Aparecidinha, em Santa Teresa