DNIT dá sinal verde para estadualização da BR 262 em Cariacica

Vista aérea de trecho da BR 262 que deverá ser estadualizada / Foto: Bruno Fritz

Proposta foi apresentada pelo deputado Marcelo Santos. Agora, governador precisa oficiar a União e iniciar processo de transferência de responsabilidade

Começa a caminhar processo de estadualização da BR 262. O trecho em questão - a partir  do KM zero na cabeceira da Ponte Governador Gerson Camata até o Trevo da Ceasa, KM 7,2 - é de responsabilidade do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). Provocado pelo deputado estadual Marcelo Santos, o superintendente do regional, Romeu Scheibe Neto, através de ofício, demonstrou interesse na proposta apresentada pela Comissão de Infraestrutura da Assembleia Legislativa do Estado (CoinfraES), elaborada em agosto deste ano. 

A rodovia é porta de entrada de Cariacica, onde se encontram empresas de setores industriais, comércio e prestação de serviço, apresentando-se como um importante polo comercial do Estado. O trecho ainda está ligado ao corredor logístico da estrada Leste-Oeste, que corta Vila Velha e Cariacica, José Sette, além de acessos à avenida Alice Coutinho, região de Jardim América e Estádio Kleber Andrade.

Trecho da BR 262 pode se tornar a principal avenida de Cariacica / Foto: Bruno Fritz

"Essa pode se tornar a principal avenida de Cariacica, totalmente humanizada, com ciclovia, espaço para o cidadão fazer sua caminhada, praticar seu exercício físico e melhorar os acessos aos bairros do município, dando uma nova dinâmica ao trânsito da Grande Vitória com mais segurança e qualidade de vida para o capixaba", comentou Marcelo Santos.

É antigo o desejo de estadualização da via. Em 2015, o plano já havia passado pela CoinfraES, com ofício encaminhado, à época, ao então ministro de Transportes, Antônio Carlos Rodrigues.

“Esse trecho é mais capixaba do que federal e é um desejo de toda a Região Metropolitana, já que é eixo importante da mobilidade urbana da Grande Vitória”, crava o presidente da CoinfraES, Marcelo Santos. 

Justificando o desejo de transferir a responsabilidade do trecho federal para o Executivo capixaba, ele afirma que as resoluções sobre os problemas do trecho são lentas, pois “para a realização de intervenções são necessárias aprovações do governo federal, distantes da realidade da via, que carece de respostas rápidas, para não estagnar cidades e economias, e por isso, é fundamental que o Estado assuma a responsabilidade”, finaliza. "São diversos investidores que não conseguem viabilizar seus empreendimentos na região por conta da lentidão e distância do governo federal, o que pode mudar essa dinâmica e aumentar o volume de negócios para a cidade e, consequentemente, para o Estado", complementou o deputado.

Deputado Marcelo Santos provocou o governo do Estado e o Dnit para estadualizar trecho da rodovia / Foto: Bruno Fritz

De acordo com o superintendente regional do Dnit-ES, os próximos passos dependem de "manifestação formal do governador (do Estado) para prosseguimento do pleito" que, inclusive, já falou publicamente dessa intenção. Por isso, o próprio chefe do Poder Executivo capixaba também  foi oficiado por Scheibe Neto para que possa informar o interesse do Espírito Santo em administrar o trecho da rodovia.

“Estamos em processo acelerado de estadualização do trecho que compreende toda a extensão federal da Segunda Ponte, seguindo até o Trevo da Ceasa. Tanto o governo capixaba quanto o federal já estão de acordo nesse procedimento. Agora o processo é mera formalidade”, finalizou o deputado.

Assessoria de Comunicação

Data de Publicação: sexta-feira, 20 de setembro de 2019

LEIA MAIS...

Homenagem a Gerson Camata é sancionada no Palácio Anchieta
Comissão de Infraestrutura vai coordenar grupo para destravar obras no Estado
Moradores de Porto de Santana conhecem o novo aquaviário