Homenagem a Gerson Camata é sancionada no Palácio Anchieta

Rita Camata agradece homenagem ao esposo. Foto/Bruno Fritz

 O ex-governador deixou sua marca na infraestrutura do Estado e agora dá nome à Segunda Ponte. Proposta por Marcelo Santos, lei foi sancionada pelo governador

Gerson Camata dedicou cerca de 40 anos de sua vida à política capixaba. Como senador e governador trabalhou com projetos estruturantes no Estado. Foi responsável pela ligação de diversas estradas, além de ter deixado sua marca em obras importantes para o Espírito Santo como o Tancredão, Sambão do Povo e Terceira Ponte. Para eternizar seus feitos, foi sancionado nesta quarta-feira (18), no Palácio Anchieta, a Lei 11.040/2019 que  renomeia a Segunda Ponte. O ex-governador foi brutalmente assassinado em dezembro de 2018. 

Entre familiares, políticos e amigos, estiveram presentes ao evento, Rita Camata, esposa de Gerson, o governador Renato Casagrande, o deputado estadual Marcelo Santos, demais deputados, o presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Estado (TRE-ES) Ronaldo Gonçalves, o presidente do Tribunal de Justiça do Estado (TJ-ES) Sérgio Gama,  secretários de Estado, vereadores, o prefeito de Marilândia Geder Camata e amigos.

Lei que renomeia trecho da Segunda Ponte foi sancionada nesta quarta. Foto/ Bruno Fritz

“A minha única palavra é gratidão! Agradeço pelo carinho recebido durante os 270 dias da ausência de Gerson. É uma dor muito grande, eu não tinha ideia de como seria difícil essa falta. A ausência vai ser preenchida com a chegada de netos, família e amigos que têm sido maravilhosos. Hoje fiz questão de vir agradecer. Onde quer que ele esteja, tenho certeza que está bem, em paz, sabendo do legado que aqui deixou, de uma pessoa íntegra, honesta, sempre muito alegre. Vejo uma simbologia nesta homenagem, a ponte ligando a ilha ao continente. Ela traduz um pouco o grande esforço que ele fez como governador, conectando todos os municípios do Estado à capital. Esse foi um grande legado”, relatou a ex-deputada federal Rita Camata. 

A proposta foi feita pelo deputado Marcelo Santos e aprovada na Assembleia Legislativa por unanimidade. “É importante fazer esse registro, pois nós sabemos a história de Camata, mas ela tem que ser eternizada por tudo que ele fez como bom deputado, senador e governador que foi”, afirmou Marcelo Santos. 

O deputado lembrou ainda sobre a personalidade do ex-governador. “Uma figura muito engraçada, conhecido como um homem de paz e muito conciliador!”

Deputado Marcelo Santos foi autor da proposta. Foto/ Bruno Fritz

Durante a sanção da Lei, o governador Renato Casagrande também lembrou do legado deixado por Camata. “Foi um grande construtor de rodovias em nosso Estado, fez muitas obras durante seus mandatos. Um símbolo da política, se manteve muito querido pela população. A história está marcada. Mesmo não estando mais entre nós, será sempre uma grande referência. Seu talento para agregar, em um momento em que a sociedade se divide tanto, ter a lembrança de uma pessoa que conseguiu aglutinar de forma eficaz esse Estado merece ser relembrada”, disse o chefe do Poder Executivo capixaba.

O presidente da Assembleia, Erick Musso, falou sobre o gesto de homenagear o ex-governador. “Não poderia deixar passar em branco. Um gesto do Marcelo com apoio dos deputados. Esse é o modo de prestar essa merecida homenagem ao nosso governador Gerson Camata”, disse. 

História

Como político, Gerson fazia questão de reforçar seu apoio à agricultura e ao homem do campo, através do desenvolvimento de projetos de eletrificação e telefonia rural; construção de estradas ligando as sedes dos municípios; construção de escolas; e assentamento de agricultores sem-terra. Feitos lembrados pelo presidente do Tribunal de Justiça do Espírito Santo, desembargador Sérgio Gama. “Sou alegrense e foi o então governador Gerson Camata que levou toda a edificação rural e colaborou para escoamento da produção agrícola. Um homem admirável que significou muito para o capixaba. Sem inimigos e que por onde passava, espalhava alegria e otimismo, uma pessoa extraordinária”

Sem nunca perder uma eleição, Camata atuou como vereador deputado federal, governador e por três vezes senador. 

“Melhor governador que esse Estado já teve em um período de dificuldades, sendo o primeiro governador eleito no nosso estado no período da redemocratização do país. Me recordo que quando ocorreu essa violência eu não estava aqui, e, refletindo muito, apresentei um projeto de homenagem à este grande homem. Falar de Camata aqui é só falar de coisa boa. Deixo meu muito obrigado ao Camata que fez história neste Estado, história que a história já está contando”, finalizou Marcelo.

 

Assessoria de Comunicação

Data de Publicação: quarta-feira, 18 de setembro de 2019

LEIA MAIS...

Comissão de Infraestrutura vai coordenar grupo para destravar obras no Estado
Moradores de Porto de Santana conhecem o novo aquaviário