Comissão da Assembleia envia sugestões para transporte aquaviário

Comissão da Assembleia envia sugestões para transporte aquaviário

Deputado Marcelo Santos em conversa com o secretário da Semobi, Fábio Ney Damasceno / Foto: Bruno Fritz

Marcelo Santos elaborou  documento com especificações que podem constar em edital a ser publicado pelo Governo do Estado para garantir segurança e conforto ao usuário

Após quase duas décadas com atividades suspensas, o aquaviário, que já foi um dos principais meios transporte da Grande Vitória, será reativado em 2020. Com o aumento das cidades, e consequentemente, do fluxo de carros, sua reativação constou de maneira permanente nas pautas da Comissão e Infraestrutura da Assembleia Legislativa do Espírito Santo (CoinfraES). Os planos para  instalação já estão em adiantado estado, e para garantir sua efetividade, a CoinfraES elaborou um relatório com sugestões à Secretaria de Estado de Mobilidade e Infraestrutura (Semobi) para que o sistema seja eficiente, confortável e seguro.

“Sempre fui um defensor do aquaviário. O sistema irá complementar o transporte rodoviário e desafogar ruas e avenidas que já estão saturadas de tantos veículos. É um grande avanço para a mobilidade urbana da Grande Vitória. Agora que finalmente vai sair do papel, precisamos juntar esforços para que o serviço seja o melhor para a população. Por isso fiz questão de elaborar, junto com a equipe da Comissão, esse relatório de sugestões que foi feito após muito estudo”, afirmou o presidente da CoinfraES, o deputado estadual Marcelo Santos. 

Para a elaboração do documento, o Colegiado contou com o apoio técnico da  Associação Brasileira de Engenheiros Civis – ABENC. Após reuniões com sete empresas (Objetiva, LeveFort Icoma, Eco balsas, CCR BARCAS (antiga Barcas S.A), CatSul, VJB Transporte Hidroviário e Construção Naval e Las Perlas Ferry S.A) que atuam no ramo em diversos locais dentro e fora do país, foram realizados estudos para que o transporte seja sustentável, atrativo e confortável ao usuário.

De acordo com o documento, para atender de maneira efetiva os usuários, a embarcação deve apresentar capacidade mínima entre 100 (cem) e 120 (cento e vinte) passageiros, sistema climatizado com ar condicionado, espaço para, no mínimo, cinco bicicletas e atender a pessoas  com deficiência. A sustentabilidade também foi ressaltada. Para ser menos poluente e com maior eficiência energética , o transporte deve priorizar o Diesel, e possuir no mínimo, 02 (dois) motores.

Reativação
Com a promessa de que as viagens durem em média três minutos, o governo prevê que a reativação do modal acontecerá até meados de 2020. Com quatro estações, inicialmente elas serão instaladas em Porto de Santana, Enseada do Suá, Centro de Vitória e Prainha, no município de Vila Velha. O modelo será integrado ao Sistema Transcol, através do Bilhete Único.

Assessoria de Comunicação

Data de Publicação: quinta-feira, 22 de agosto de 2019

LEIA MAIS...

CPI pede quebra de sigilo bancário da Fundação Renova
Deputado Marcelo Santos defende plano de manutenção preventiva para obras públicas durante anúncio de investimentos na Terceira ponte
“As cidades, de forma organizada e regionalizada, precisam se preparar para receberem investimentos que estão previstos nos próximos anos”