Comissão de Infraestrutura da Assembleia recebe mais um operador de transporte aquaviário para apresentar modelo

Passos finais para a escolha das embarcações. Foto/Bruno Fritz

Empresa encerrou ciclo de debates e apresentações realizadas pelo Colegiado. Presidente Marcelo Santos vai enviar sugestões à Secretaria de Mobilidade

 

Na manhã desta quinta-feira (8), a Comissão de Infraestrutura da Assembleia Legislativa do Espírito Santo (CoinfraES) encerrou um ciclo de debates e apresentações sobre modelos de embarcação e operação de transporte aquaviário. Agora, a fim de colaborar com a Secretaria de Mobilidade e Infraestrutura do Estado (Semobi) para que o sistema retorne na Região Metropolitana da Grande Vitória, o presidente, deputado estadual Marcelo Santos, irá compilar tudo o que foi apresentado e debatido e enviará para a Secretaria.

Durante reunião ordinária, uma empresa com experiência em mais de seis estados, operando transportes aquáticos e com construção de embarcações apresentou suas projeções e demonstrou interesse em participar da concorrência que vai ser aberta pelo Governo do Estado para que o sistema de transporte aquaviário volte a funcionar, já no próximo ano.

Pelas projeções da empresa, cerca de 800 mil pessoas seriam beneficiadas com a implementação do modal aquaviário, podendo realizar o percurso entre a Praça do Papa e a Prainha levaria três minutos; entre a Praça do Papa e o Centro de Vitória, seis minutos; entre a Prainha e o Centro da capital, seis minutos; já entre o Centro e Porto de Santana, cinco minutos.

Com capacidade para até 200 passageiros, as embarcações produzidas pela empresa oferecem wi-fi, banheiros, acessibilidade, coletes salva-vidas, ar condicionado e espaços para transporte de animais de estimação e bicicletas. "De acordo com o que estabelecer o edital, poderemos construir embarcações e entregar o mais rápido possível, com o máximo de conforto e tecnologia, com a máxima eficiência energética, emitindo menos poluentes e melhorando a mobilidade urbana de toda a região", comentou o sócio-proprietário da VJB Transporte Hidroviário e Construção Naval, Bruno Barbiero.

Para o deputado Marcelo Santos, o trabalho da CoinfraES vai colaborar para a Semobi redigir o edital de licitação. "Estamos na última apresentação, fechando um ciclo com uma empresa que opera em vários estados do país e também constrói embarcações, disposta a participar da concorrência que vai contratar a empresa que irá operar o transporte aquaviário de passageiros, totalmente integrado com o modal rodoviário", destacou.

De posse de todas as apresentações, um robusto material será enviado à Semobi. "Agora vamos enviar para o Governo do Estado um resumo de tudo aquilo que juntamos durante esse período  com várias empresas, vários construtores e vários modelos de embarcações e, junto com o estudo técnico que tem na Semobi, vai ser baliza para a construção do edital que vai contatar a empresa, pois vai dizer o modelo de embarcação, quantidade de passageiro, se vai ter banheiro, ar condicionado, espaço para bicicletas, acessibilidade", finalizou Marcelo Santos.

                                                                                                                                             O aquaviário será integrado ao sistema rodoviário. Foto/Bruno Fritz

Aquaviário

Inicialmente serão quatro terminais para embarque e desembarque de passageiros que, inclusive, já tiveram licitação publicada para elaboração do projeto executivo desses píeres. Será um terminal em Cariacica, em Porto de Santana; dois em Vitória, sendo um no Centro da capital (em frente à Cesan) e outro na Enseada do Suá (na Praça do Papa); e um em Vila Velha, no Parque da Prainha.

Pelo projeto, os terminais serão integrados ao sistema rodoviário, bem como a ciclovias para que o cidadão possa se deslocar também no que se chama de mobilidade ativa, como bicicletas e patinetes.

 

Assessoria de Comunicação

Data de Publicação: quinta-feira, 08 de agosto de 2019

LEIA MAIS...

Deputado Marcelo Santos defende plano de manutenção preventiva para obras públicas durante anúncio de investimentos na Terceira ponte
“As cidades, de forma organizada e regionalizada, precisam se preparar para receberem investimentos que estão previstos nos próximos anos”
Cesan vai investir R$ 2,1 bilhões até 2023